Copa-14: Será que teremos o PAP – Plano de Aceleração do ‘Puxadinho’?

“Ouço alguns duvidando se vai realmente haver Copa em 2014. Minha opinião? com certeza haverá! Aos 40 do segundo tempo, nós faremos aquilo que sabemos fazer de melhor: o Jeitinho Brasileiro, o Brazilian Way: a Presidenta virá a público e substituirá o PAC pelo PAP – Plano de Aceleração do Puxadinho. Um puxadinho no estádio, outro puxadinho no aeroporto, outro na rodovia…”

Obras em BH estão adiantadas, mas rede hoteleira é insuficiente. Já em SP hotéis não são problema, mas o estádio…

Hoje, segunda-feira, 18 de julho, só se ouvia falar de penalti: na esquina, no ônibus, na padaria… Acho que todos chegamos a um consenso: não temos estádios e não temos time para a próxima Copa. Sobre o time, deixemos para os comentaristas esportivos comentarem, assunto é o que não falta. Eu quero falar é dos estádios. Ou da falta deles.

Estádios, hotéis, rodovias, aeroportos… O tempo passa, falta menos de três anos para o inicio da Copa e o que vemos é a inatividade dos setores público e privado no sentido de construir algo… uma reforma de rodovia que seja.

Sinceramente, quando soube que o Brasil sediaria a Copa, eu acreditei que esse era o impulso que faltava para que deixássemos de ser uma nação “adolescente”, para nos tornarmos uma nação ‘adulta’. Sabe quando a gente faz 18 anos, e o nosso pai nos entrega a chave do carro dele: “Me leve ali, filho!”. E a gente encara aquilo como um grande teste, a chance que temos pra mostrar para todos que deixamos de ser adolescentes para nos tornarmos adultos. E a gente guia o carro com todo o cuidado, respeita a sinalização, e ganha a confiança do pai. Era isso que eu esperava que acontecesse com o Brasil, que em organizar uma boa Copa, por mais dinheiro que isso custasse, nós finalmente conquistaríamos a confiança do mundo todo, mostrando que viramos uma nação adulta.

Mas não é o que aconteceu, sabe por que? Porque nós não crescemos. Sim, crescemos no PIB, na importância do cenário econômico mundial, mas não em mentalidade, somos crianças crescidas, apenas isso. Continuamos mais interessados em beneficiar a construtora do amigo nosso, que vai ajudar a gente na eleição, ou em ajudar aquele time a finalmente construir seu estádio… Continuamos pensando pequeno, roubando migalhas, enquanto já poderíamos ter a nossa própria padaria. Digo “nós” porque você queira ou não, são os nossos representantes, que nós escolhemos…

SE A COPA VAI ACONTECER?

Ouço alguns duvidando se vai realmente haver Copa em 2014. Minha opinião? Com certeza haverá! Aos 40 do segundo tempo, nós faremos aquilo que sabemos fazer de melhor: o Jeitinho Brasileiro, o Brazilian Way: a Presidenta virá a público e substituirá o PAC pelo PAP – Plano de Aceleração do Puxadinho. Um puxadinho no estádio, outro puxadinho no aeroporto, outro na rodovia… Pinte tudo com cores bonitas, chame umas mulatas para dançar, os americanos gostam disso. Muito futebol, festa, a mídia cobrindo o evento e encobrindo o que for necessário… e pronto! Um evento de sucesso!

E o desenvolvimento? E o salto? E a confiança internacional, o amadurecimento? Vai ficar pra próxima Copa, que, seguindo a média histórica, deve vir em 2078.

MAS, O QUE ISSO TEM A VER COM TI?

Tudo. Você, leitor já deve ter ouvido da tal da fabrica do IPad que será aberta no Brasil. A “cidade inteligente”, como está sendo chamada, é um projeto grandioso de 19 bilhões de reais que deve gerar 100 mil empregos. A Foxconn, tercerizada da Apple deseja construir essa “cidade” em um local próximo à uma rodovia descente, a um aeroporto internacional descente, onde tenha uma banda larga descente, e uma oferta de energia elétrica descente… Agora me responda, aonde encontraremos este lugar aqui no Brasil? Existe? Me diga onde? Não tem, né?

É triste ver como nós estamos mais uma vez perdendo o “bonde da história”. É que, infelizmente, o Brazilian Way só resolve o problema de alguns, não de todos. Precisamos pensar como nação, não como partido politico ou coisas similares. Precisamos nos juntar como nação, da mesma maneira que fazemos quando a nossa Seleção entra em campo: acompanhando, xingando e indo ao aeroporto vaiar, se for preciso. É uma pena que só vemos isso no futebol, e não nas coisas que realmente interessam. Deve ser por isso que nós somos pentacampeões no campo. E nada mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s